Hoolest Рmelhor para estimula̤̣o localizada do nervo vago

Hoolest Рmelhor para estimula̤̣o localizada do nervo vago

O longo COVID, os sintomas contínuos experimentados por pessoas que se recuperam do Covid-19, não é apenas um problema de saúde, mas também carrega um estigma social. As organizações de saúde estão encontrando métodos inventivos para resolver esse problema, e os jogos digitais são uma opção promissora. A incorporação de conteúdo relacionado ao Long COVID em jogos pode aumentar a conscientização, aumentar a compreensão e criar um ambiente mais favorável para as pessoas que vivem com o Long COVID.

Principais conclusões:

  • Longo COVID é um problema generalizado e crescente, afetando cerca de 100 milhões de pessoas em todo o mundo, e carrega preocupações de saúde e estigma social.
  • A tecnologia de jogos, incluindo gamificação e jogos virtuais imersivos, fornece ferramentas poderosas para conectar pessoas online, apoiar tratamentos médicos, melhorar a fisioterapia e melhorar a saúde mental.
  • Os jogos digitais oferecem um caminho promissor para abordar o Long COVID, incorporando conteúdo relacionado aos jogos, aumentando a conscientização, aumentando a compreensão e criando um ambiente mais favorável para aqueles que vivem com a doença.
  • As modificações do jogo permitem a personalização dos videogames, tornando-os mais emocionantes e únicos. Três jogos populares foram modificados para aumentar a conscientização e a compreensão do Long COVID em sua jogabilidade.
  • Ao habilitar o modo Long COVID nesses jogos, os jogadores experimentam os desafios e dificuldades associados à condição, levando a uma maior empatia e compreensão. As comunidades de jogos também promovem o compartilhamento de informações e reduzem o estigma em torno do Long COVID.

Entendendo o Long COVID e seu impacto

O COVID longo pode afetar os pacientes tanto física quanto mentalmente. Algumas pessoas apresentam apenas sintomas leves, enquanto outras os apresentam de forma mais grave ou por mais tempo. Em alguns casos, os pacientes apresentam fadiga constante, dificuldade para respirar, dor no peito e dores nas articulações e músculos. Outros têm problemas para pensar com clareza, dificuldade para dormir e se sentem deprimidos ou preocupados. Esses sintomas podem dificultar uma vida normal. Qualquer pessoa que esteja lidando com Long COVID precisa obter ajuda médica e tratamentos adequados que funcionem para eles.

O poder da tecnologia de jogos

A indústria de jogos digitais é enorme, com cerca de 3,07 bilhões de jogadores ativos no mundo em 2023, de acordo com o Finances Online. A tecnologia de jogos já é usada de maneiras empolgantes para ajudar a tornar a assistência médica mais divertida e interativa para pacientes com vários problemas médicos. “Gamificação” inclui opções como realidade virtual, rastreamento de movimento e desafios que tornam o exercício mais divertido. Com essas ferramentas, os pacientes podem participar ativamente de sua própria recuperação.

Os jogos virtuais imersivos oferecem uma plataforma poderosa onde as pessoas podem se conectar, compartilhar experiências e desenvolver uma melhor compreensão de como é viver com o Long COVID. Alguns métodos de gamificação identificam como os pacientes estão e fornecem atendimento personalizado. Outros métodos melhoram a fisioterapia, ajudam nos exercícios de pensamento e memória e até apoiam a saúde mental.

Ao criar experiências agradáveis ​​no processo de tratamento, a gamificação ajuda os pacientes a se manterem motivados e a seguirem seus planos de tratamento. Ele também pode conectar pacientes com outras pessoas por meio de comunidades de jogos on-line, onde eles podem conversar com pessoas que entendem o que estão passando. Isso torna o jogo uma maneira ideal de apoiar um grande número de pacientes, aumentando a empatia e ajudando a reduzir o estigma em torno da condição.

O potencial das modificações do jogo

Modificações de jogos, também conhecidas como mods, são alterações feitas em videogames que os tornam mais emocionantes e únicos. Jogadores ou desenvolvedores de jogos fazem essas alterações para personalizar sua experiência de jogo e alterar diferentes aspectos do jogo. Com essas modificações, os jogadores podem adicionar novos recursos, personagens e níveis, ou até mesmo alterar as regras do jogo. É como dar ao jogo uma nova reforma.

Long COVID Europe (LCE), uma rede de associações de pacientes dirigida por pacientes atuais e antigos, recentemente selecionou três jogos conhecidos para modificar, incorporando a consciência e a compreensão do Long COVID em sua jogabilidade. Elden Ring, Minecraft e The Witcher 3: Wild Hunt foram todos escolhidos pela LCE por causa de sua popularidade no mundo dos jogos. Por exemplo, Elden Ring foi o jogo mais vendido de 2022, vendendo mais de 20 milhões de cópias. Cada jogo comanda um conjunto único de fãs, com classificações contrastantes de PG que permitem que o LCE alcance o público em ambas as extremidades do espectro de idade.

Integrando sintomas longos de COVID em jogos

O modo Long COVID (LC) transforma os sintomas vividos e reais dessa condição em efeitos no jogo. Os jogadores navegam com seus personagens por mundos virtuais, encontrando sintomas, gerenciando sua saúde e aprendendo sobre a doença por meio de histórias interativas. Por exemplo:

  • Anel Elden. Combina uma mecânica desafiadora de RPG com um vasto cenário de mundo aberto e uma rica narrativa de fantasia. Os jogadores exploram um mundo místico e interconectado, participam de combates intensos, descobrem segredos ocultos e desvendam uma história profunda baseada em tradições.
  • Minecraft. Permite aos jogadores construir e explorar mundos virtuais feitos de blocos. Os jogadores criam ferramentas, constroem estruturas, extraem recursos e encontram várias criaturas. Tem um forte aspecto voltado para a comunidade, com jogadores criando e compartilhando seus próprios mapas personalizados, mods e servidores multijogador.
  • The Witcher 3: Caçada Selvagem. RPG de ação baseado na série de livros de fantasia sobre Geralt of Rivia, um caçador de monstros conhecido como Witcher. O jogo combina exploração, caça a monstros e tomada de decisões para proporcionar uma experiência cativante e imersiva.

São jogos robustos com desafios punitivos, que o LC Mode leva para o próximo nível. Quando este modo está ativado, os jogadores sofrem aleatoriamente de sintomas como:

  • Intolerância ao esforço. Força-os a parar por 3 a 5 segundos.
  • Apagões. Faz com que sua visão desapareça e os deixe confusos.
  • Perder a noção do tempo. O tempo passa sem que o jogador perceba.
  • Memória fraca. Força os jogadores a perder um número aleatório de runas.
  • Indigestão. A cura pode doer em vez de resultar em regeneração.
  • Mal-estar pós-esforço. Deixa os jogadores se sentindo imensamente esgotados e atordoados por alguns segundos.
  • Função pulmonar comprometida. Torna as expedições subaquáticas mais difíceis.

Ao mesmo tempo, os sintomas sempre ativos incluem energia limitada, fadiga caracterizada por movimentos 25% mais lentos, exaustão causada por regeneração de resistência mais lenta em combate e disfunção cognitiva que resulta em atingir alvos com feitiços e flechas muito mais difíceis. A dor nas articulações contínua e o descanso insatisfatório fazem com que se levantar dos Locais de Graça demore mais.

Educando o público

Aumentar a conscientização e a empatia sobre o Long COVID por meio de jogos pode ser uma maneira poderosa de educar e envolver um público amplo. O jogo permite que os jogadores experimentem situações e cenários simulados. Ao incorporar elementos do Long COVID nos jogos, os desenvolvedores podem ajudar a explicar as dificuldades enfrentadas pelas pessoas que vivem com a doença. Isso ajuda a desenvolver empatia e compreensão entre os jogadores que podem não ter experiência com a doença.

Os jogos digitais também envolvem frequentemente a formação de comunidades dedicadas com um grande número de seguidores ou assinantes em redes como Twitch e YouTube. Essas comunidades podem ser espaços valiosos para aumentar a conscientização e compartilhar informações sobre condições médicas. Desenvolvedores de jogos, editores ou organizações de saúde podem trabalhar juntos para criar eventos, desafios ou conteúdo especial no jogo que eduquem os jogadores sobre os sintomas, efeitos de longo prazo e dificuldades enfrentadas pelos pacientes. Ao incorporar detalhes educacionais nos jogos, os jogadores aprendem enquanto se divertem.

Reduzindo o estigma

Incorporar elementos de narrativa em jogos ajuda a humanizar as experiências das pessoas que vivem com o Long COVID. Ao apresentar personagens que têm essa condição ou tecer histórias que destacam os desafios e triunfos associados a ela, os jogos criam uma conexão entre os jogadores e uma compreensão das experiências vividas pelas pessoas afetadas. Isso pode criar empatia e incentivar os jogadores a aprender mais, apoiar causas relacionadas e promover discussões sobre o Long COVID.

Além disso, plataformas de jogos e comunidades como o Twitch podem ajudar a arrecadar fundos para tratamento e campanhas de caridade. Os desenvolvedores e editores de jogos podem trabalhar com organizações e instituições de caridade relevantes para organizar eventos dentro do jogo, onde os jogadores podem participar e contribuir para atividades de arrecadação de fundos para apoiar a pesquisa Long COVID, atendimento ao paciente ou defesa.

Indo além do entretenimento

Para as pessoas que vivem com o Long COVID, o benefício de aumentar a conscientização por meio de jogos vai além do entretenimento. Isso os ajuda a obter apoio e compreensão de suas comunidades e profissionais de saúde. Ao aumentar a educação sobre a condição por meio de jogos e tecnologia, a sociedade pode simpatizar com os afetados, fornecer apoio emocional e defender os recursos e serviços de que precisam para controlar seus sintomas e melhorar sua qualidade de vida.

O corpo humano inclui um sistema nervoso autônomo e, conforme esse sistema funciona, poderíamos chamar o nervo vago de o principal fio neural do sistema nervoso autônomo. É um dos principais contribuintes das funções parassimpáticas dentro de nossos corpos, que se estende desde o pescoço até a parte superior do cólon.

E no que diz respeito às terapias, existe um método para estimular o nervo vago para reduzir o estresse e a ansiedade, além de melhorar a qualidade do sono. Com foco em dispositivos não invasivos, identificaremos os melhores dispositivos de estimulação do nervo vago (VNS) para ajudá-lo a fazer uma escolha informada.

Melhor dispositivo de estimulação do nervo vago: lista restrita

Desde o início do VNS não invasivo, ele foi seguido por um debate incansável. Para esse efeito, pesquisamos uma certa quantidade desses dispositivos de estimulação do nervo vago e, neste comentário, compilamos os melhores do setor:

  • Pulsetto – o melhor dispositivo de estimulação do nervo vago com melhor custo-benefício
  • Apollo – melhor dispositivo de estimulação do nervo vago em interface com outras tecnologias
  • Hapbee — princípio de funcionamento eletromecânico mais exclusivo
  • Neuvana — mais confortável de usar quando em movimento
  • Hoolest – melhor para estimulação localizada do nervo vago

Como escolher o melhor dispositivo de estimulação do nervo vago?

Ao escolher o melhor dispositivo de estimulação do nervo vago, deve-se considerar critérios específicos.

Contents

This entry was posted in health. Bookmark the permalink.

Comments are closed.